Soja: Brasil descola da Bolsa de Chicago e fecha agosto com mais de 4% de altas nos portos


03/09/2018

Fonte: Notícias Agrícolas
Link para a notícia: https://bit.ly/2LUFsVE

"O mês de agosto foi desastroso para a tendência dos preços internacionais de soja e para a economia brasileira, mas favorável para manter em níveis elevados os preços de soja em reais no mercado interno brasileiro". O resumo é o do diretor da Cerealpar, Steve Cachia, que justifica as baixas acumuladas de mais de 6% entre os principais vencimentos da soja negociados no mercado futuro norte-americano.

Com essa pressão, o contrato novembro/18 fechou o mês com US$ 8,43 por bushel, e queda de 6,14%, e o janeiro passou de US$ 9,12 para US$ 8,56, com perda de 6,14%.

As baixas não foram ainda mais intensas porque nesta sexta-feira (31/8) as cotações terminaram o dia com altas de 11,25 a 13,50 pontos entre as posições mais negocidas, com o mercado da soja econtrando suporte nas altas de mais de 2% entre as cotações do milho e do trigo.

Agosto foi repleto de estimativas da nova safra norte-americana e a mais forte delas veio com os dados do Pro Farmer, um dos mais importantes e tradicionais crop tours dos EUA, com a projeção de pouco mais de 127 milhões de toneladas de soja a serem colhidas na temporada 2018/19. Os dados repercutiram por dias no mercado e ajudaram a intensificar a pressão sobre as cotações.

Ademais, a guerra comercial entre China e Estados Unidos continuou, os rumores aumentaram, bem como a tensão entre as duas maiores economias do mundo. Nesta sexta-feira (31), inclusive, Donald Trump informou estar preparado para intensificar a disputa, adotando mais 200 bilhões de dólares em importações chinesas assim que o período de consulta pública sobre o plano acabar na próxima semana, segundo informou a Bloomberg News.

Via do Conhecimento, 1911 km 02
Pato Branco - PR
(46) 3220-2000 / (46) 3122-8000
coopertradicao@coopertradicao.com.br
Desenvolvido por BRSIS