Safra 2018-2019: Os principais desafios e competências para o sucesso da colheita


09/10/2018

Com o início da safra 2018-2019, alguns manejos são necessários para uma produção de qualidade, quantidade e sucesso, a começar pela preparação do solo.

Um dos principais fatores para a construção de uma lavoura produtiva é o bom manejo do solo. Coletas devem ser realizadas pelo menos a cada três safras e as correções devem ser feitas conforme a sua necessidade.

A rotação de cultura deve ser adotada para obter uma condição boa de solo, no que diz respeito ao aumento de microrganismos benéficos, redução de pragas, doenças e plantas daninha.

Já o controle das mesmas, se tratando da cultura, o produtor deve buscar sempre eficiência técnica. Para isso é aconselhável o acompanhamento de um Engenheiro Agrônomo, por serem manejos que exigem necessidade de precisão a garantir um bom desempenho nas operações. Além disso, ainda é preciso contar com fatores que não podem ser controlados, como a temperatura ambiente, umidade relativa do ar, chuvas e luminosidade.

Tendo em vista que cada cultura tem sua necessidade e exigência, físicas e químicas, para obter um resultado satisfatório no final, é recomendado que o agricultor e o Engenheiro Agrônomo/Técnico Agrícola pensem especificamente em cada cultura e na extração de seus nutrientes.

Como exemplo disto, para a produção de 1 tonelada de soja, são extraídos do solo: 79,4kg de nitrogênio, 7,3kg de fósforo, 32,1kg de potássio e 13,3kg de cálcio. Para tanto, a importância de se ter a interpretação da análise solo e a recomendação ideal de reposição destes nutrientes, seja via solo ou via planta, com objetivo de suprir necessidades visando teto produtivo.

Outro fator importante antes de começar o plantio é a escolha de uma boa semente. O Engenheiro Agrônomo Odirlei Rutkoski, da unidade de Palma Sola, acredita que “cabe a nós enquanto agrônomos e cooperativa, trazermos novidades de cultivares para conhecimento de nossos cooperados, e também mostrar a importância do tratamento de sementes para os mesmos”. A preocupação com a sua qualidade deve ser constante e, se tratando disto, é preciso pensar de forma que seja possível abranger aspectos como qualidade fitossanitária, vigor, germinação e adaptabilidade à região, clima e nível de fertilidade do solo, e onde será posicionada também são fatores de suma importância.

Para o Engenheiro Agrônomo Carlos Sartor, da unidade de Palmas, “estar atento a esses aspectos é determinante para que a lavoura seja próspera. Por isso, a Coopertradição é parceira das principais empresas deste ramo, garantindo que todos esses fatores sejam atendidos para cada cooperado em situações diferentes”.

Assim como escolher uma boa semente é de extrema importância, os cuidados com a planta é um dos maiores desafios para o produtor, e a fertilização foliar não pode ser deixada de lado ao construir uma lavoura de alto potencial. O que precisar ser avaliado com cuidado é o que e quando aplicar. Para ajudar nestas decisões existe a análise foliar, que consiste em uma ferramenta prática e versátil que deve ser mais difundida no meio agrícola por trazer resultados surpreendentes no que diz respeito ao aumento de produtividade e também por partir da ideia de que só será utilizado o que realmente a planta necessita, e desta forma reduzir custos e aumentar a eficiência, garantindo excelentes resultados na colheita.

A janela de uma cultura entre o preparo do solo, plantio, tratos culturais e colheita é um período pequeno - de 125 a 150 dias - dependendo da cultivar estabelecida na área, por este motivo é preciso ter atenção redobrada e seguir as orientações feitas pelo Engenheiro Agrônomo, para minimizarmos perdas e ganharmos em produtividade.

Via do Conhecimento, 1911 km 02
Pato Branco - PR
(46) 3220-2000 / (46) 3122-8000
coopertradicao@coopertradicao.com.br
Desenvolvido por BRSIS